História das Artes visuais


                               História das artes visuais


 A necessidade da comunicação na espécie Homo sapiens parece ser a origem do conhecimento artístico do ser humano. Embora não nos déssemos conta, como hoje em dia estamos repletos de informações visuais que nos cercam a todo o instante seja num banner de algum comércio, no anuncio de uma revista, ou até mesmo nas paginas de Web em qualquer site que visitarmos.
 Estamos nada mais do que seguindo os passos de nossos antepassados pré-históricos, que realizavam nas pinturas rupestres o marketing de boas caçadas, fartas colheitas, e por que não dizer: (relatavam o que alguns creem ser ficção cientifica como aparições de “deuses ou Ets”), ou tão simplesmente dizendo, abusavam da criatividade explorando a liberdade artística, parafraseando (liberdade poética), isto é a arte tem o intuito de passar não só uma informação como tenta exprimir emoção de quem a recebe, nem sempre a emoção recebida é aquela em que o artista tenta se expressar, portanto arte não se explica, apenas é sentida.
 Na falta de símbolos elaborados, a comunicação rupestre era realizada através de desenhos toscos que afloravam da criatividade do arcaico artista! Portanto a origem da escrita é a mesma origem da arte visual.

 Ao que parece o autor desta obra pode sugerir um conto bem assustador: que seria a disputa entre dois povos pelo gado, só que notem que um dos povos possuem cabeças de animais o que seriam deuses, Ets, ou simplesmente criatividade para expressar uma emoção? Talvez, um superlativo ao povo inimigo para tornar assim sua vitória mais engrandecedora e com mais ênfase! Confesso que, a mim daria medo lutar contra um exercito de Deuses com cabeça de lobos!
 A civilização como à conhecemos só foi possível através da escrita, para a geração de documentos e históricos, inclusive nos cálculos matemáticos de Almoxarifes que porventura provisionassem os estoques de alimentos de alguma tribo: como por exemplo, cereais e quantidades também eram representados por sinais gráficos, assim sendo com o advento da Era do Bronze já existiam grandes civilizações baseadas na informação gerada nas artes visuais, e seus sistemas de escritas embora mais sofisticados do que seus antepassados do paleolítico ainda eram representados por desenhos gráficos de toda forma complexos, e por que não chama-los então de desenhos.

 Acima à esquerda Hieróglifos egípcios, e a direita escrita Cuneiforme Suméria! Datam da idade do Bronze em torno de 3000 anos atrás ou mais. Embora a escrita cuneiforme também possa ser definida como uma espécie de escultura em baixo relevo, em matriz de argila, suas cunhas representam contornos que nos passam um imagem bidimensional do ideograma!
Até hoje existem povos que se utilizam do ideograma na sua comunicação literária que é o caso dos povos Orientais e o mais conhecido senão é o Kanji Japones.

 Cada desenho deste pode representar uma ou mais palavras, uma série de Kanjis dispostas verticalmente podem alterar completamente o significado de um kanji quando este esta só ou acompanhado por outro ideograma.
 E por que não diser que cada letra do nosso alfabeto também é representado por desenhos? 



                                  Após a idade do bronze!


  A história continua em todas as civilizações, posteriores a idade do bronze, com a ultilização recursos mais sofisticados aliando novas técnicas, e cada civilização com um estilo característico! como por exemplo as artes Gregas ou Helenisticas (Micenas, , como nas pinturas em jarros de cerâmica por exemplo.

   Vaso de cerâmica Helênica, retratando a figura mitológica do Centauro
    Neste caso, foi aliado o recurso da cerâmica (Escultura), aliada a imagem, é claro que a imagem torna-se somente um ornamento para a peça de cerâmica, que sem duvida possuía objetivos mais práticos do que somente a ornamentação! Mas certamente a imagem nos da a ideia das tecnologias e da cultura intrínseca à crença  do povo que a produziu.


           Abaixo tabela retirada de: Wikipédia!

- A partir de 4000 a.C. na zona de confluência do rio 
Tigre com o rio Eufrates.
Palácios,templos (zigurate), câmaras funerárias (abóbada e arco).
Adobemadeiratijolo colorido para decoração.
- Figuras religiosas de alabastro (hierarquia por altura e tamanho dos olhos). Formas geométricas e esquemáticas baseadas no cone e no cilindro.
- Influência na arte da Assíria e da Babilónia.

- Inicialmente na zona norte do rio Tigre, posteriormente estende-se a império de grandes dimensões. Auge entre c. 1000 e 612 a.C..
Templos e zigurates monumentais. Tijolo, também pedra nas entradas das cidades e salas.
Escultura monumental (demónios guardiões), baixo-relevo narrativo em grande escala.
- Influência da arte da Suméria.


- Cidade da Babilónia. 1º período com fundador da dinastia babilónica, Hamurabi. 2º período de destaque entre 612-539 a.C. com Nabucodonosor (Torre de BabelJardins suspensos da Babilónia).
Tijolo vidrado colorido para decoração de superfícies arquitectónicas.
- Representação da figura animal.


- Inicialmente a oriente da Mesopotâmia (actual Irão), local de passagem de tribos nómadas.
- Arte nómada ornamental (armas, taças, vasos) em madeiraossometal. Estilo animalista, abstracção figurativa e orgânica.
- Posterior povo herdeiro do império assírio, conquista da babilónia em 539 a.C..
Palácios colossais (várias influências, ambiente cerimonial e repetitivo), ausência de arquitectura religiosa.
Escultura associada à arquitectura.
Ver tambémArquitectura

Arte do vale do Nilo

- Durante 3000 anos até à conquista por Alexandre, o Grande no século IV a.C..
- Arquitectura monumental (pedra), templos, arte funerária, (pirâmidesmastabas).
Relevos e pinturas murais associados à arquitectura, escultura de vulto e colossal, artes decorativas e mobiliário.
- Carácter solene com base em cânones rígidos de representação, simbolismo.
Ver tambémArquitectura | Pintura | Escultura

Arte celta e germânica

- Estilo característico dos povos de língua celta, na Europa (continente e, em especial, ilhas - InglaterraIrlanda) que se desenvolve já desde a pré-históriaIdade do Bronze até à Idade MédiaVer também: Arte hibérnico-saxónica

- Estilo característico dos povos germânicosVer também: Pré-românico para a contextualização da arte dos germanos durante as migrações dos povos bárbaros na Idade Média.

- Arquipelago das CíclafsdfasedfdesIdade do bronze (2500-1600 a.C.).
- Objectos em cerâmica (vasos, cálices, etc) de decoração geométrica (linhas, curvas, espirais).
- Pequenos ídolos em mármore de linhas sintéticas com nariz destacado em relevo.


- Arte cretense (Ilha de Creta), Idade do bronze (2300-100 a.C.).
Pintura mural decorativa de harmonia e movimento, cores vivas e vista frontal associada à arquitectura palaciana (de estrutura informal e prática).
- Peças de cerâmica, pouca escultura (pequenas figuras em argila e terracota, vasilhas).
- Temáticas do quotidiano, mundo animal (marítimo), religião (devotiva e ritual).


Aqueus estabelecidos em território gregoIdade do bronze.
- Principal centro em Micenas, influência da arte minóica.
Arquitectura monumental, pintura sem leveza da arte cretense, temática militar e narrativa.

Arte fenícia

- Arte dos fenícios, povo de origem semita que colonizou a sul da península itálicaSicília, sul da península ibérica e norte deÁfrica, com apogeu entre c. 1000 a.C. e 800 a.C..
- Dedicados principalmente asdfsdo artesanato (objectos utilitários), comércio e navegação na zona do Mediterrâneo.
- Influência da arte egípciaegeiamicénicamesopotâmica e grega.


- Povo etrusco, região da Toscana, séculos VIII a II a.C..
- Arte funerária, câmaras tumulares com pintura mural, urnas, escultura em sarcófagos (jacentes), bustos.
- Peças decorativas em bronze e terracotajoalharia.
- Influência da arte arcaica grega.


- Magna Grécia: Grécia, sul de ItáliaSicília, século VI a IV a.C..
Arquitectura religiosa (Templos em pedraordens arquitectónicas), edifícios públicos (teatros etc.).
Cerâmica (com pintura decorativa), escultura de vulto (mármorebronze).
- Arte ligada ao intelectualismo, valorização do homem, busca da perfeição, harmonia, equilíbrio, proporção. Inspiração nanatureza, realismo.
- Temática mitológica, do quotidiano.
Ver tambémArquitectura | Escultura | Pintura


Arte grega do final do século IV até o final do século I a.C.
- Civilização grega estende-se pelo Mediterrâneo e Próximo Oriente sob Alexandre, o Grande.
Escultura com sentimento pleno de emoção e movimento.


Império romano, século VIII a.C. a IV d.C.. Grande influência da arte grega.
- Desenvolvimento arquitectónico com gosto pelo colossal e magnificente. Edifícios públicos (pontesaquedutostermas,anfiteatros etc.), religiosos basílicastemplos.
Escultura histórica, bustos.
Ver tambémArquitectura | Escultura | Pintura

Arte do cristianismo

- Primeira expressão artística dos cristãos, área do império romano do ocidente, Roma, entre século III e V d.C..
Pintura mural (fresco) em catacumbas, sarcófagos.
- Surgimento das primeiras basílicas cristãs após a oficialização da religião.


- Arte cristã do império romano do oriente, desde a transição da capital do império para Constantinopla à sua conquista em 1453 pelos turcos.
- Influência da arte romana e da arte oriental.
Arquitectura religiosa (cúpula), pintura e mosaico de carácter bidimensional e simbólico (ícones).



Bibliografia
CALADO, Margarida, PAIS DA SILVA, Jorge Henrique, Dicionário de Termos da Arte e Arquitectura, Editorial Presença, Lisboa, 2005, ISBN 20130007
JANSON, H. W., História da Arte, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1992, ISBN 972-31-0498-9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário